O POLH NA EUROPA

POR ANA SOUZA
E CAMILA LIRA (ORGS)


O POLH NA EUROPA
(Português como Língua de Herança)

 

O livro  |  Notas à imprensa  |  Críticas  |  Autoras  |  Detalhes  |  O POLH online  |  Der uma olhada  |  Comprar o livro

 

 

SOBRE O LIVRO

Esta obra, intitulada O POLH na Europa, reúne artigos apresentados no II Simpósio Europeu sobre o Ensino de Português como Língua de Herança (II-SEPOLH), realizado na Alemanha em 2015. O interesse comum dos artigos aqui apresentados é o Português como Língua de Herança, nas suas múltiplas abordagens. Na primeira seção, as discussões são tecidas segundo um ponto de vista mais teórico, refletindo sobre a colocação e a definição de alguns parâmetros funcionais ao ensino do POLH, tais como formação docente, alfabetização e letramento, além da reflexão sobre materiais didáticos específicos, entre outros.

As iniciativas em prol da manutenção do Português como Língua de Herança são o foco da segunda seção, que dá uma ampla amostra de projetos criados para preservar heranças linguísticas e demarcar espaços mais adequados e democráticos para os herdeiros da língua portuguesa que vivem na diáspora.

Podemos afirmar que o presente trabalho é uma preciosa contribuição para o avanço da discussão sobre o POLH, pois possibilita aos pesquisadores, aos professores e aos pais a reflexão sobre práticas mais recentes ao redor do mundo e sobre a necessidade de formação nesse âmbito para a elaboração funcional de materiais didáticos específicos. Além disso, enriquece, de maneira rigorosa, o panorama bibliográfico dessa que já definimos como “disciplina” com dignidade acadêmica.

Profa. Dra. Katia de Abreu Chulata, Universidade de Pescara, Itália.

 

 

NOTAS À IMPRENSA

 

 

 

DER UMA OLHADA

 

 

CRÍTICAS

"Pela sua abrangência e atualidade, [os] capítulos [na primeira parte deste livro] abre a oportunidade de refletir sobre três aspetos fundamentais no ensino-aprendizagem do Português como Língua de Herança. O primeiro refere-se à própria designação da Língua Portuguesa e à forma como o seu caráter pluricêntrico é (ou não) retratado; o segundo refere-se à noção de “língua” e, consequentemente, às fronteiras entre línguas nos repertórios linguísticos dos falantes bi- e plurilingues; finalmente, o terceiro aspeto a assinalar será o da noção de herança, cuja conotação balança entre o positivo e o negativo, quer no polo afetivo, quer no polo aquisicional."
Profa. Dra. Sílvia Melo-Pfeifer, Universidade de Hamburgo, Alemanha.

"Os capítulos [na segunda parte] deste volume descrevem (...) experiências (...) em relação ao ensino da língua-cultura de herança em diferentes localidades, incluindo relatos sobre organizações que atuam como ligação entre as iniciativas que desenvolvem esse ensino (...) os leitores vão encontrar vários traços em comum entre as iniciativas descritas. É importante notar que, apesar dos desafios semelhantes, muitas vitórias têm sido conquistadas, o que é certamente inspirador."
Profa. Dra. Gláucia V. Silva, Unversidade de Massachusetts Dartmouth, EUA.

"Recomenda-se esta obra para professores de Português Língua de Herança e para todos aqueles que se interessem e queiram e acreditem que a Língua Portuguesa seja uma língua de futuro. Parabenizo às autoras e aos colaboradores pela qualidade, pela pertinência e tratamento dado ao tema em foco."
Profa. Dra. Maria Luisa Ortiz Alvarez, Universidade de Brasília, Brasil.

 

 

ORGANIZADORAS

Ana SouzaAna Souza • Ana Souza é PhD pela Universidade de Southampton, Inglaterra, e pós-graduada em Ensino e Gestão para Educação de Nível Superior pela Goldsmiths, Universidade de Londres, Inglaterra. Associada à Academia Britânica de Educação Superior (Higher Education Academy) e professora na Universidade Oxford Brookes, atuando no Programa de Pós-Graduação no Ensino de Língua Inglesa e na graduação da mesma universidade. É graduada em Letras Português-Inglês (CEUB, Brasília) e Tradução Português-Inglês (Universidade de Brasília - UnB). Lecionou Inglês como Língua Estrangeira (EFL) em Brasília. Fez Mestrado no Ensino de Língua Inglesa na Universidade Thames Valley (atual West London University), Londres, Inglaterra, onde lecionou Inglês para Falantes de Outras Línguas (ESOL), Português como Língua Estrangeira (PLE) e Português como Língua de Herança (POLH).

Tem grande envolvimento com a comunidade brasileira no Reino Unido desde 1999, através de trabalho voluntário que lhe permite transformar conhecimento acadêmico em ação social. Co-fundou a ABRIR (Associação Brasileira de Iniciativas Educacionais) em 2006. Com o apoio dessa associação, criou o SEPOLH (Simpósio Europeu sobre o Ensino de Português como Língua de Herança), o qual visa estimular a colaboração de países europeus para benefício dos profissionais e aprendizes de POLH, assim como promover e disseminar pesquisas na área. Além disso, organizou vários eventos sobre os imigrantes brasileiros através do GEB (Grupo de Estudos sobre Brasileiros no Reino Unido), o qual co-fundou em 2008. Seus interesses de pesquisa são na área de Sociolinguística, com ênfase em bilinguismo, língua e identidade, escolhas linguísticas, planejamento linguístico (com foco em famílias e igrejas de imigrantes), escolas complementares/ suplementares (escolas de línguas de herança), língua de herança, formação de professores de línguas, inclusive para o ensino de POLH.

Maiores informações sobre suas publicações, cursos, seminários e palestras podem ser encontradas no site: aqui.

 

Camila LiraCamila Lira • Camila Lira é mestre em Alemão como Língua Estrangeira com ênfase em bilinguismo pela Universidade Ludwig Maximilian, de Munique, Alemanha. Atualmente é doutoranda na Universidade Europa Viadrina (Frankfurt Oder, Alemanha), onde pesquisa sobre o Português como Língua de Herança (POLH). É graduada em Letras Português - Alemão pela Universidade de São Paulo (USP) e formou-se no antigo Magistério em 1999 no CEFAM - Centro Específico de Formação e Aperfeiçoamento para o Magistério - Osasco, Brasil.

Durante 6 anos foi professora concursada para a educação infantil em Barueri, onde trabalhou com turmas em fase de alfabetização. Também trabalhou com ensino fundamental, ensinando Português. Motivada a aprender mais sobre o idioma alemão, fez intercâmbio na cidade de Munique, onde buscou possibilidades para continuar seus estudos. É nessa cidade que começou a dar aulas de Português como Língua Estrangeira (PLE) e conheceu a Linguarte, associação para o ensino e promoção do Português como Língua de Herança. Começou a trabalhar na Linguarte em 2009, com duas turmas de POLH e uma de PLE. Além das aulas na Linguarte, atua como professora de PLE na Universidade Técnica de Munique e de alemão em escolas particulares.

A partir de 2010, passou a coordenar os grupos de ensino de POLH da Linguarte. Através da Linguarte oferece também apoio aos pais e à comunidade sobre o bilinguismo em trabalho conjunto com o Instituto para o Multilinguismo da Universidade Ludwig Maximilian (LMU). Co-fundou o Centro de Informação e Apoio sobre Educação Bilíngue - Português como Língua de Herança - CIAEB-PLH e organizou o II-SEPOLH - Simpósio Europeu sobre o Ensino de Português como Língua de Herança (2015) e o IV Seminário Europeu sobre a Imigração Brasileira na Europa (2016) em Munique.

 

 

COLABORADORAS

Ana Luiza de Souza • Ana Luiza de Souza idealizou a Casa do Brasil em Florença em 2014. Terminou, em 1994, o Ensino Médio com o curso de Magistério no Brasil, onde ministrou aulas de alfabetização. Em 1998, formou-se em Artes Cênicas, e assim começou também a trabalhar como atriz em teatros no Rio de Janeiro. Em 1999, iniciou o curso de Letras Português - Italiano na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Foi professora concursada no município do Rio de Janeiro, dando aulas de Língua Portuguesa no ensino fundamental e no ensino médio de 2001 a 2006. O percurso como professora de português, como atriz e o conhecimento da língua e cultura italiana lhe deram ainda mais motivação para continuar seus estudos. Em 2006, passou no concurso para o Mestrado em Disciplinas Teatrais na Universidade de Bolonha, na Itália. Ao se formar, continuou seu percurso com projetos culturais ligados à infância e a cultura em Florença. Com o nascimento do seu filho em 2011, voltou a dar aulas de português, prestando também consultoria a empresas que trabalham com o mercado comercial brasileiro. Atualmente, trabalha como Leitora (professora de língua portuguesa) na Universidade de Pisa, na Faculdade de Línguas e Literatura Estrangeiras.

Cláudia Garwood • Cláudia Garwood é formada no Brasil em Serviço Social com especialização em Psicodrama. Trabalhou como Assistente Social no Brasil na área de recursos humanos para empresas nacionais e multinacionais desenvolvendo trabalhos na área de segurança do trabalho. Mudou-se para a Inglaterra em 1998, onde trabalhou para o Condado de Camden, em Londres, como assistente social por mais de sete anos. Com o nascimento de sua filha, teve o desejo de vê-la crescer falando, lendo e escrevendo em português fluente, bem como tendo um contato maior com a cultura brasileira. Em 2014, fez o curso introdutório para professores de português oferecido pelo Instituto de Educação (IoE) da Universidade de Londres. Com essa experiência, acumulou mais conhecimento sobre o ensino de POLH, adquirindo as ferramentas necessárias para a criação da EBeCC (Escolinha do Brasil e Centro Cultural) em St Alban’s.

Christina Litran Maciel • Christina Litran Maciel estudou Comunicação Social na Fundação Armando Álvares Penteado em São Paulo e Pedagogia Waldorf no Instituto Elo. Realizou trabalhos como arte-educadora em diversas escolas do Brasil e trabalhou como produtora na TV Cultura de São Paulo. Desde 2004, vive em Berlim, onde realiza atividades em português para crianças bilíngues. É mãe de uma filha bilíngue.

Cíntia Godoy • Cíntia Godoy estudou Letras e formou-se como professora de Alemão e Português na Universidade de São Paulo (USP). Em Freiburg, estudou Romanística, Germanística e Alemão como Língua Estrangeira e ministrou cursos de Português na Albert-Ludwig-Universität. Hoje, trabalha como professora de português e alemão em Berlim e desenvolve o projeto Canta Nenê: encontros de pais e crianças falantes de português. É mãe de três filhos bilíngues.

Juliana Azevedo Gomes • Juliana Azevedo Gomes é pedagoga pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, especialista em psicopedagogia educacional e mestre em Didática pela Universidade de Barcelona. Atualmente, é doutoranda em Didática da Língua na Universidade de Barcelona, onde investiga estratégias didáticas para o ensino do POLH em um contexto de línguas próximas. Tem interesse por pesquisas relacionadas à alfabetização e letramento, aquisição da linguagem, didática para língua de herança e identidade. É professora de PLE e de POLH na Associação de Pais de Brasileirinhos na Catalunha (APBC) desde o ano 2012.

Leila Santos • Leila Santos nasceu em Salvador e atualmente vive em Valdobbiadene, na Itália. A partir de 2007, passou a viver em Lisboa, onde iniciou o curso de Direito pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Ainda em Portugal, conheceu seu marido, que é italiano. Em 2011, nasceu o seu primogênito. Em 2013, a família mudou-se para Itália, primeira razão que a fez entrar no universo do bilinguismo. Posteriormente, decidiu criar o Projeto Pirulito para promover a língua portuguesa e a cultura brasileira. O nascimento do seu segundo filho, em 2006, fotaleceu ainda mais o seu desejo de que os filhos cresçam bilíngues e se sintam brasileiros.

Magaly Dias de Quadros • Magaly Dias de Quadros é professora de português por vocação, casada com Marcos Alonso de Quadros e mãe de Ana Luiza Dias de Quadros. Mora em Dubai desde 2007, onde vive a realidade de manter a língua materna com sua filha. Esse desejo extrapolou o âmbito familiar e tomou forma de projeto, A Hora do Conto. Esse envolvimento fez com que ficasse ainda mais apaixonada pelo seu país a ponto de querer mostrar um pouco do Brasil para crianças brasileiras que vivem no exterior.

Maria de Lurdes Santos Gonçalves • Maria de Lurdes Santos Gonçalves é natural de Évora, Portugal, e reside em Berna, Suíça. É licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante Estudos Ingleses e Alemães pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1987), Mestre em Gestão Curricular e Doutorada em Didática de Línguas pela Universidade de Aveiro (2002 e 2011, respetivamente). É professora dos ensino básico e secundário e pertence ao Quadro de Nomeação Definitiva do Agrupamento de Escolas de Mira. Ao longo da sua carreira docente exerceu diversas funções, entre elas, diretora de turma, tutora, diretora de cursos profissionais, coordenadora da sala de estudo e chefe de departamento. Foi orientadora de estágios pedagógicos de alemão, no âmbito da formação inicial e tem desenvolvido vários projetos educacionais, tanto no âmbito da formação contínua, como de intervenção no contexto escolar. Desempenhou também funções de supervisão pedagógica das AEC (Atividades de Enriquecimento Curricular) de inglês no 1CEB. A par da atividade docente tem desenvolvido investigação no âmbito dos projetos de mestrado e doutoramento e tem participando em projetos de Investigação do CIDTFF (Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores) da Universidade de Aveiro, enquanto membro do LALE (Laboratório Aberto para a Aprendizagem de Línguas Estrangeiras). Tem partilhado o seu trabalho de formação e de investigação tanto através da participação em encontros científicos variados, nacionais e internacionais, como através da publicação de artigos científicos em livros, atas de congressos e revistas internacionais. Desde setembro de 2013, trabalha para o Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, exercendo as funções de Coordenadora do Ensino Português na Suíça.

Maria José Maciel • Maria José Maciel é mestre em Linguística Contrastiva pela Universidade de Oslo, tradutora e intérprete juramentada de português - norueguês. Professora de PLE desde 1993 e educadora de POLH desde 2007 na Noruega. É membro do Conselho de Cidadãos no país e fundadora e diretora da organização Português sem Fronteiras, que se dedica à promoção da língua portuguesa e da cultura brasileira na Noruega.

Miriam Müller Vizentini • Miriam Müller Vizentini é paulistana, casada, mãe de dois filhos criados num contexto plurilíngue. Tem formação acadêmica em Psicologia pela PUC-SP (Bacharelado, Graduação e Licenciatura Plena) e cursos pela Escola Superior de Pedagogia de Zurique (PHZH). No Brasil, atuou como professora de Problemas de Aprendizagem e Desenvolvimento Infantil e na área de Orientação Educacional / Pedagógica em colégios de São Paulo. Mora em Baden, Suíça, desde 1990. Membro da Comissão Pedagógica Intercultural e da Secretaria de Educação do Cantão Zurique desde 2000, atua na coordenação pedagógica (criação do currículo, orientação e treinamento de professores, desenvolvimento de material didático) da ABEC (Associação Brasileira Educação e Cultura), da qual é co-fundadora, e como professora do curso Português Língua-Cultura de Herança/ POLH desde 1996. Atua também como mediadora cultural em escolas de Zurique e como professora de PLE. Fez apresentações perante a comunidade de professores de POLH pelo mundo: painel Currículo de POLH, no I Simpósio Europeu de Português como Língua de Herança (I-SEPOLH, ABRIR, Londres, 2013), ateliê Material Didático, no II Curso de Formação de Professores de POLH (Elo Europeu/MRE, Munique, 2014), ateliê ABEC: trabalho com classes heterogêneas no curso de capacitação de professores (Grupo Raízes, Genebra, 2015), painel “Construindo a grade curricular para POLH: expectativas x realidade - uma proposta vinda da prática em sala de aula”, na II Conferência PLH (BEM, Nova Iorque, 2015), painel Formação de professores de POLH e coordenação da mesa sobe material didático, no Simpósio Europeu de Português como Língua de Herança (II-SEPOLH, Linguarte, Munique, 2015).

Rita Dorneles • Rita Dorneles é qualificada para lecionar em escola primária e graduada em Pedagogia com especializações em Magistério e Orientação Educacional. Filha de pai português do Minho e mãe brasileira da Bahia, cresceu entre o fado e o samba de uma maneira bastante multicultural. Embora a língua em casa fosse a mesma entre os pais, a pluralidade de vocábulos era constante, uma vez que vivia no Rio de Janeiro e transitava entre as variantes baiana da mãe, europeia do pai e carioca do seu próprio dia a dia. Vive na Inglaterra desde 2010, quando se mudou de Lisboa com a família para acompanhar o marido em uma transferência de trabalho. Descobriu o POLH através do website da ABRIR (Associação Brasileira de Iniciativas Educacionais no Reino Unido – www.abrir.org.uk / https://abrir10anos.wordpress.com), quando fazia pesquisas sobre escolas que oferecessem português. Através do contato com a ABRIR, chegou a várias escolinhas de POLH onde pôde aprender muito e pôde também desenvolver seu trabalho como professora. Tem experiência com o ensino de POLH para crianças e adolescentes, inclusive com a preparação para os exames de GCSE e A-Level em português na Inglaterra. Também oferece aulas particulares para crianças e jovens entre os 11 e 16 anos, preparando-os para os mesmos exames em Português. É colaboradora da ABRIR há 4 anos, organização que apoia como voluntária em eventos sociais. É coautora de um artigo acadêmico por convite da Dra. Ana Souza e participou do I e II SEPOLH (Simpósio Europeu de Português como Língua de Herança - www.sepolh.eu) como colaboradora da ABRIR, sendo uma das palestrantes no segundo evento como membro da ABRIR.

 

 

PREFÁCIO

Prof.ª Dra. Maria Luisa Ortiz Alvarez — Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução, Instituto de Letras, Universidade de Brasília.

 

 

APRESENTAÇÃO

Prof.ª Dra. Sílvia Melo-Pfeifer — Universidade de Hamburgo.

Prof.ª Dra. Gláucia V. Silva — Universidade de Massachusetts Dartmouth.

 

 

COMITÊ CIENTÍFICO

Cristina M. M. Flores — Departamento de Estudos Germanísticos e Eslavos, Universidade do Minho Campus de Gualtar 4710 - 057 Braga.

Clarissa Menezes Jordão — Universidade Federal do Paraná, Departamento de Letras Estrangeiras Modernas.

Roberval Teixeira e Silva — Universidade de Macau, Faculdade de Letras, Departamento de Português.

Rosane Werkhausen — Universidade Técnica de Munique, Centro de Línguas, Universidade Christian Albert de Kiel – Alemanha, Faculdade de Letras.

 

 

DETALHES

Título: O POLH na Europa (Português como Língua de Herança) [Volume 1]
Organizadoras: Ana Souza e Camila Lira.
Formatos: Capa comum, eBook.
Páginas: 330.
Idioma: Português.
ISBN: 9781911435167 (capa comum), 9781911435174 (eBook)
Editora: JNPAQUET Books Ltd.
Coleção: JNPAQUET Books Education.

TOP 100 Bestseller:
- #1 Bestselling Reference Books (Amazon UK, 13/10/2017)
- #5 Bestselling Language, Linguistics & Writing Books (Amazon UK, 13/10/2017)

 

 

O POLH ONLINE


 

 

COMPRAR O LIVRO

 

COMPRAR O EBOOK:

eBook para Kindle

 

COMPRAR O LIVRO CAPA COMUM:

Comprar o livro capa comum na Amazon


Comprar o livro capa comum na Amazon

Comprar o livro capa comum com a Editora

Buy the print book at Watertones


Comprar o livro capa comum na Amazon

Buy the print book at Barnes & Nobles

Buy the print book at Abebooks

Buy the print book at Strand Books


Comprar o livro capa comum na BookTopia


Buy the print book at Saxo


Buy the print book at Adlibris


Comprar o livro capa comum na Mondadori


Buy the print book at FishPond


Buy the print book at Loot


Buy the print book at Adlibris

Buy the print book at Bokus

 

 





Anybody can read Kindle books — even without a Kindle device — with the for smartphones, tablets and computers.

 

    JNPAQUET BOOKS LTD

Get in touch with us